segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Deu empate no duelo do Choque-Rei no Paulistão

Fernando Pilatos/UOLFernando Pilatos/UOL
                                   Muita discussão no clássico paulista


Teve de tudo no principal jogo do Campeonato Paulista. São Paulo e Palmeiras empataram em 1 a 1 numa tarde “aquática” no Estádio do Morumbi, com muito bate-boca, tabu, expulsão e belos gols. Fernandinho marcou um golaço para o tricolor e o esperto Adriano, após cavar a expulsão do zagueiro Alex Silva, empatou para o verdão que só não virou o jogo por causa de Rogério Ceni que fechou o gol.

Fora o dilúvio que aconteceu na cidade de São Paulo, o clássico até que teve bons momentos, mas o time de Palestra Itália não quebrou o tabu e com isso são 17 jogos sem vencer o São Paulo no seu estádio e ainda por cima perdeu a liderança para o surpreendente Mirassol que venceu o Paulista por 2 a 0 e assumiu a ponta do Paulistão. Fica para o próximo confronto.

O Corinthians fez a lição de casa e goleou o lanterna Grêmio Prudente por 4 a 0 no Pacaembu e assumiu a vice liderança do Paulistão. O timão segue na cola dos lideres, mas quem decepcionou mais uma vez sua torcida foi o Santos que apenas empatou em 1 a 1 na Vila Belmiro e com o resultado, o técnico Adilson Batista foi demitido. A maré não está boa para o time da Baixada Santista.
Onde está o futebol do Santos? e a Portuguesa então, a torcida que não agüenta mais tantos insucessos. Eu fico por aqui, mas volto em breve com mais futebol. Escreva pra mim: www.radiobrasilmpb.blogspot.com

Abraços.

Postou Ricardo Monzillo

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Investir é a solução para desenvolvimento sustentável
















Seriam necessários um montante de 1,3 trilhões de dólares, a serem injetados em dez setores essenciais anualmente, que incluem energia, transporte e turismo: os três setores que causam maior poluição no mundo.

Especialistas das Nações Unidas e ministros do meio-ambiente de mais de 100 países estão reunidos no Fórum de Ministros do Meio Ambiente do Pnuma (Programa da ONU para o Meio Ambiente), que acontece essa semana, em Nairobi, no Quênia.

As autoridades na área ambiental discutem alternativas de investimento para gerar desenvolvimento sustentável e acabar com a exploração indevida da natureza, dos oceanos e da atmosfera.

Dois cenários distintos foram apresentados para o período de 2011 a 2050. O primeiro utiliza o tradicional modelo econômico. O ‘modelo verde’ seria a opção mais cara, mas ecologicamente correta.

O sistema atual promoveria maior crescimento econômico até 2015. No entanto, logo depois o modelo verde seria mais viável e promoveria 2,7% de crescimento a partir de 2030 contra 2,2% do modelo tradicional.

O relatório revela ainda que a ‘economia verde’ seria responsável pela criação imediata de empregos em setores como agricultura, construção, transporte e turismo.

Além disso, o ‘modelo verde’ seria uma resposta à altura no combate aos problemas relacionados ao aquecimento global e a exploração indevida de energias fósseis e recursos naturais do planeta.

Para ser verde, o setor de energia deveria investir cerca de U$ 360 bilhões na utilização de energias limpas como usinas eólicas ou solares, de combustíveis alternativos ao petróleo (como é o caso do etanol, derivado da cana-de-açúcar), entre outras alternativas.

Os transportes deveriam injetar U$ 315 bilhões na busca de novas tecnologias para motores de carros e aviões que poluam menos o ambiente.

Segundo o relatório, os prejuízos com a poluição do ar, acidentes e congestionamentos podem abocanhar 10% do Produto Interno Bruto (PIB) de um país.

Na área de turismo seriam necessários U$ 135 dólares para encontrar meios mais verdes de explorar as áreas da natureza sem destruí-la.


Brasil é modelo de investimento sustentável


Para tentar contrapor a idéia de que ser verde custa caro, o documento cita o Brasil como exemplo de sucesso no investimento de opções sustentáveis para o desenvolvimento da economia. A reciclagem gera retornos de U$ 2 bilhões e evita, ao mesmo tempo, a emissão de gases causadores do efeito estufa.

Para Achim Steiner, diretor executivo do Pnuma, o desenvolvimento tem que continuar, mas não pode ser às custas dos próprios sistemas de apoio à vida na terra, dos oceanos e da atmosfera.

A iniciativa privada deve se conscientizar disso, sair da teoria e colocar em ação, em parceria com o setor público, as opções que foram apresentadas para salvar o planeta e a vida na Terra.

  
       
 Postou Cibele Riccomini - Correspondente Internacional - Inglaterra

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Como estas? Estudando?

























Extraído do livro de Histórias...que a história não contou - fatos curiosos em sessenta anos de rádio e tevê e de Paulo Machado de Carvalho Filho, organizado por Carlos Coraúcci.


Paulinho conta no livro:

João Rubinato, o querido e amado Adoniran Barbosa, já fazia enorme sucesso na programação da Rádio Record no começo dos anos 50. Com seus tipos engraçados, Adoniran cativou a todos que com ele conviviam.

No memorável programa Histórias das Malocas, criado e dirigido por Oswaldo Molles, ele protagonizava vários personagens, com destaque para Charutinho, uma verdadeira aula de dolce for niente.

Nos tornamos bons amigos, porém, o velho ditado “ amigos, amigos, negócios à parte” prevalecia.

Contratado da Record, Adoniran até que merecia um salário melhor do que ganhava, porém, era preciso coerência na folha de pagamento daquele cast riquíssimo da emissora.

Certa vez, Adoniran entrou em minha sala, sempre com as portas abertas a todos os funcionários que trabalhavam comigo, e perguntou:


- Paulinho, quando você vai me dar aumento?

Sempre precavido, respondi:

-Estou estudando, Adoniran.

E sua tática tornou-se freqüente:

- Paulinho, como estás? E meu aumento?

Eu sempre escapando:

- Estou estudando... estudando

Até que um dia os questionamentos ficaram veementes e o despojado artista irrompeu em minha sala:


_ Amigo, e meu aumento?

- Estou estudando

Bonachão que era ele, não levou cinco segundos para retrucar:


- Então, Paulinho, eu vou te pedir um favor: como você está a mais de seis meses estudando, quando chegar a sua formatura me avise, que eu faço questão de ir de smoking.

Esse era o perfil do fantástico Adoniran.





Postou Alcides Martins Fontes Júnior - Jornalista

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Ensaio na casa do maestro Tom Jobim - uma relíquia!

video

Ensaio na casa do maestro Tom Jobim, preparando a gravação da canção "Maracangalha", de Dorival Caymmi (incluída no último CD lançado pelo artista em 1994, o ano de seu falecimento). Estão presentes neste ensaio o autor Dorival (de chapéu de palha); seu filho Danilo Caymmi tocando flauta; Tom Jobim (também de chapéu de palha) ao piano; Paulinho Jobim num dos violões acústicos; Tião Neto noutro violão acústico (bem atrás do maestro) e as meninas do Coro: Miucha Adnet, Simone Caymmi (esposa de Danilo), Ana Lontra Jobim (esposa de Tom) e Paulinha Morelenbaum.  
Este vídeo, surpreendentemente, permanecia inédito até hoje.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Alta de preços de alimentos amplia pobreza

















Segundo dados do Banco Mundial (Bird), o aumento global do custo dos alimentos básicos foi responsável por levar 44 milhões de pessoas à pobreza ‘extrema’ nos países em desenvolvimeto, desde junho de 2010.

O índice de preços de alimentos subiu nada menos que 15% entre outubro e janeiro, impulsionado pelo valor que o trigo vem sendo negociado no mercado internacional.

Essa alta os preços também foi sentida em relação à outros alimentos da cesta básica como milho, açúcar e óleo comestíveis, que fazem parte da dieta da população mais pobre – que chega a gastar metade de sua renda na compra de alimentos.

No entanto, o indicador registra 3 pontos percentuais abaixo do pico observado em 2008, quando houve a crise de escassez de comida gerando revoltas em vários países.

O Bird define pobreza extrema a sobrevivência de pessoas com menos de US$ 1,25 por dia. Em 2008, o banco havia alertado que 100 milhões de pessoas poderiam mergulhar no poço sem fundo da pobreza.
         
   Postou Cibele Riccomini – Correspondente Internacional - Inglaterra

terça-feira, 15 de fevereiro de 2011

Música Popular Brasileira de Qualidade!

Remessas de dinheiro impulsionam desenvolvimento



















A Conferência das Nações Unidas sobre o Comércio e Desenvolvimento (Unctad) realiza esta semana debate, em Genebra, sobre a relação entre remessas de dinheiro de migrantes com o desenvolvimento dos países.
Em 2009, migrantes de países em desenvolvimento e menos desenvolvidos enviaram para sua terra natal U$ 316 bilhões, ou seja, R$ 521 bilhões.

As remessas de migrantes representam 2% do Produto Interno Bruto (PIB) de países em desenvolvimento. Segundo o economista da Unctad, Rolf Trager, o dinheiro dos migrantes ajudaram famílias inteiras durante a crise financeira global, além de fazer parte essencial do processo de desenvolvimento.

Dados do Ministério das Relações Exteriores (Itamaraty) revelam que mais de 3 milhões de brasileiros (1,57% da população) trabalham em países estrangeiros. Dois em cada três deles estão em situação irregular.

A emigração para outros países continua muito forte, fator que preocupa o governo brasileiro.


Portas Fechadas


A crise financeira internacional levou os governos de países desenvolvidos a fecharem o cerco contra a ‘invasão’ estrangeira. Países como a Inglaterra, por exemplo, adotaram medidas e restrições severas para evitar o fluxo imigratório em seu território, dificultanto até mesmo a entrada de estudantes estrangeiros.

Tais países alegam que estão apenas tentando proteger seu mercado de trabalho contra a imigração descontrolada e ilegal.


Brasileiros no Exterior

Os efeitos da crise global juntamente com a falta de esclarecimento por parte dos emigrantes brasileiros em relação à verdadeira conjuntura sócio-econômica dos países desenvolvidos que escolhem para viver provocaram uma queda de 8,9% das remessas em dinheiro para o Brasil, no período de janeiro-agosto de 2010 em comparação ao mesmo período de 2009.


Ilegais no Brasil

A Organização Internacional de Trabalho (OIT) estima que entre 1,5 e 2 milhões de estrangeiros – bolivianos, peruanos, colombianos, chineses e coreanos – a maioria em situação ilegal, ganham a vida no Brasil.

Postou Cibele Riccomini - Correspondente Internacional - Inglaterra
      

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Fórum Brasil-Reino Unido acontece hoje em São Paulo

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

São Paulo é escolhida a cidade de mais “ação e oportunidade” do mundo

video


Pelo segundo ano consecutivo, São Paulo lidera o ranking Zeitgeist, organizado pela Hub Culture, como a cidade da “ação e oportunidade”.

O Zeitgeist ranking, que lista as 20 cidades mais importantes do globo, existe há cinco anos e possui 20 mil membros espalhados pelo globo.

Trata-se de figuras do mundo coorporativo, que preferem agir no anonimato e também de personalidades do cenário cultural, que prestam serviços em vários projetos internacionais.

Para o fundador do Hub Culture, Stan Stalnaker, São Paulo é o lugar onde tudo acontece e onde todos gostariam de estar em 2011. “São Paulo é a número um este ano e teve a mesma colocação no ano passado porque há muita coisa acontecendo no Brasil agora. São Paulo, que é a maior cidade da América Latina e o pólo econômico do país, representa muito bem o espírito latino-americano”.

São Paulo lidera em setores como marketing, consumo, mídia, tecnologia e, em decorrência disso acaba atraindo muito progresso. Assim sendo, a cidade que “nunca dorme” exibe o título de terra da oportunidade e lugar mais “descolado” do planeta.

Como diria Billy Blanco, “São Paulo, que amanhece trabalhando – São Paulo que não pode amanhecer porque durante a noite, paulista vai pensando nas coisas que de dia vai fazer”.

Em segunda posição aparece a cidade de Estocolmo, capital da Suécia, conhecida por sua influência no cenário global em termos de consciência ambiental e direitos humanos.

Sydney, capital da Austrália, ficou em terceiro lugar. As três primeiras colocadas representam um novo centro de pensamento, avant guarde na criação de um novo estilo de viver, de um novo mundo, em que a mentalidade mais progressista é fator predominante.

Berlim, Londres, Nova York, Los Angeles, Moscou, São Francisco e Rio de Janeiro (vigésima posição) também figuram no ranking.

Ficaram fora da lista cidades como Buenos Aires, Washington, Copenhague e Paris.


 Postou Cibele Riccomini – Correspondente Internacional - Inglaterra

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

Brasil perde da França em Amistoso

AFP/B.BlancloisAFP
          Benzema marca o gol da vitória do time francês

O Brasil jogando em San Demis, próximo a Paris perdeu mais uma vez para a França por 1 a 0 e manteve o tabu de não vencer o time Frances há mais de 19 anos. O lance negativo da partida foi a expulsão desnecessária do meia Hernanes da Lazio que entrou violentamente em Benzema, melhor jogador da Françano e prejudicou a seleção brasileira no segundo tempo.

Um jogo morno com poucas emoções e com muitos passes errados por parte do Brasil que só colocou os atacantes Hulk e André nos minutos finais e pouco puderem fazer. Pior para Mano, que no segundo grande teste da seleção sob seu comando, colecionou a segunda derrota seguida.

Depois de perder por 1 a 0 para a Argentina em novembro do ano passado, no Qatar, o Brasil caiu diante de outro campeão mundial. Tudo que o treinador não queria era começar 2011 com novo revés e ameaça de pressão. Resumo, a França respeitou até demais o selecionado canarinho, pois se jogasse com mais pegada poderia ter goleado a nossa seleção, sorte que Julio Cesar estava do lado brasileiro e impediu um placar maior.

Escreva pra gente.

Postado por Ricardo Monzillo

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Enviado do governo Obama chega hoje ao Brasil




















Enviado do presidente Barack Obama, o secretário do tesouro americano, Timothy Geithner, visita o Brasil pela primeira vez em viagem estratégica para amenizar divergências entre os dois países.

Dez dias antes da reunião de ministros de Finanças do G20, na França, Geithner chega ao Brasil para tentar estabelecer cooperação econômica e financeira com o país.

Os esfoços diplomáticos do secretário do tesouro americano devem se concentrar em assuntos da agenda bilateral e da agenda do G20 (grupo das maiores economias desenvolvidas e emergentes do mundo).

Timothy Geithner se reunirá com a presidente brasileira, Dilma Rousseff, em Brasília, onde o terreno começará a ser preparado para a visita do presidente americano, no próximo mês.

Guido Mantega também receberá o enviado americano para discutir a promoção de um crescimento global equilibrado e uma reforma de governança nas instituições internacionais.

Nesse contexto, Brasil e Estados Unidos batem de frente quanto à algumas medidas implementadas pelo governo e o Banco Central americano para estimular o crescimento.

O Brasil é contra a injeção maciça de moeda na economia dos Estados Unidos por acreditar que tal ação provoca a desvalorização artificial do dólar e o aumento do fluxo de capital dos países emergentes. Isso acaba gerando a competição dos produtos e serviços brasileiros no cenário global.

    Postou Cibele Riccomini – Correspondente Internacional - Inglaterra

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Lima Duarte divulga exposição sobre os 60 anos de televisão

























terça-feira, 1 de fevereiro de 2011

Tribo indígena brasileira ameaçada de extinção

O jornal britânico, The Independent, voltou a falar sobre a tribo indígena brasileira ameaçada de extinção devido à atividades ilegais de madeireiras, na fronteira entre Brasil e Peru. Esse vídeo foi feito pela rede de televisão britânica, Sky News.


VAMOS FALAR DE CHICO BUARQUE...


























Hoje vamos relatar um trecho do livro escrito por Walter Silva, o saudoso Pica-Pau, a quem a música popular brasileira deve muito.

Walter Silva procurava, no início dos anos 60, novos valores num barzinho de apelido “Sujinho”, meio bar, meio quitanda, espaço autorizado pelo dono, perto do Mackenzie, para o show que realizava semanalmente, no Teatro Paramouth, na Avenida Brigadeiro Luis Antônio.(hoje Teatro Abril).

Um certo dia apareceu um aluno da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo).

Tímido e desajeitado, Walter pediu para que ele mostrasse suas músicas e ele, apavorado, disse que iria buscar o violão no “ Frederico”.

Bem, Walter logo pensou “esse não volta mais”; até chegar na casa desse tal “Frederico” o ensaio já acabou.

De repente, eis novamente aquele cara de boi sonso, com dois olhos claros deste tamanho, cigarro na mão, um ar de pressa e preguiça, fala corrida e, finalmente, o violão no jeito.

Walter perguntou: “onde mora esse Frederico? Você voltou tão rápido”...

“Nada!”. Respondeu Chico: “É o meu carro. Frederico”.

Era um Aero-Willys 61, bordô, que ele usava para ir à faculdade e dar algumas bandas por aí, que pertencia a Dona Maria Amélia, sua mãe.

E Chico começou o desfile de músicas, até chegar em “Pedro Pedreiro”.

Quando selecionava os novos valores, Walter não se conformava com as melodias nada sofisticadas até que ele viu um moço de 19 anos, lembrando um compositor antigo, com muitas rimas, conhecimento histórico e uma cultura gramatical fantástica.

Walter convocou imediatamente este jovem compositor e intérprete e, no dia 16 de novembro de 1964, uma segunda-feira, teatro lotado, estava lançado para o Brasil: Chico Buarque de Holanda, de quem o Pica Pau depois iria produzir o primeiro disco pela RGE, um compacto simples.

De um lado, “ Pedro Pedreiro” e do outro, “Sonho de Carnaval”, com prensagem inicial de 500 discos. Um mês depois, a gravadora teve que prensar milhares de discos porque o sucesso foi enorme.

Hoje Chico Buarque figura na lista dos maiores compositores brasileiros de todos os tempos, respeitado no mundo todo.



  



Postou  Alcides Martins Fontes Júnior - jornalista